Vendas por chat
Vendas por WhatsApp
slideslideslideslideslideslideslide

Metaverso e os novos rumos da educação

Dizer que é preciso inovar para crescer e se manter no mercado já virou lugar comum no universo corporativo. Nenhum setor escapa. A pandemia acelerou essa máxima também na educação. A tecnologia, antes encarada como meio de manter estudantes interessados no conteúdo das aulas, tornou-se essencial para garantir o mínimo das atividades escolares.

Considerado o próximo passo depois da Internet, o metaverso é uma das principais tendências apontadas para a educação em 2022.O conceito não é algo novo. Existem videogames online que oferecem ambientes virtuais nos quais você já consegue, além de jogar, interagir com outros usuários, socializar, assistir a shows, ir a exposições, entre outros. Os usuários são representados por avatares, que podem ter características físicas semelhantes aos do usuário na vida real ou podem representar algum personagem fictício, como um monstro ou uma fada, por exemplo.

Apesar de essas plataformas existirem há algum tempo, elas ainda não são tão acessíveis e intuitivas para abranger públicos de todas as idades e classes sociais, mas estão sendo aperfeiçoadas com muita agilidade. Num futuro muito próximo, o metaverso será acessível para as pessoas, assim como o celular

Em um contexto em que o distanciamento social ocasionou uma aceleração digital que impactou a educação com o Ensino Remoto, o metaverso passa a ser considerado na educação como uma oportunidade de inovação pedagógica.

Afinal, uma vez que a tecnologia é entendida, seus recursos podem ser aprimorados e explorados pelos educadores em metodologias para a inserção dos alunos nesse novo momento virtual. Ou até mesmo em propostas ainda mais inovadoras, como o Ensino Híbrido.

Nessa nova fase da internet, as experiências se tornam cada vez mais imersivas e as barreiras entre o mundo físico e o virtual vão se fundindo. Com isso, o estudante não apenas vê o conteúdo, como também passa a fazer parte dele.

De fato, a aceleração digital ocorrida nos últimos anos fez com que educadores e instituições de ensino absorvessem as oportunidades do on-line e do Ensino Híbrido na retomada das aulas presenciais. Ao estreitar a relação físico-digital e aprimorar a experiência do usuário, criando ambientes imersivos e interativos, essa nova realidade apresenta potencial para tornar a aprendizagem mais interessante aos estudantes.

O metaverso irá abrir um mundo de possibilidades na educação, uma forma de aprender bem mais envolvente e divertida. O nível da gamificação será multiplicado várias vezes com os recursos da Realidade Virtual e Realidade Aumentada. O estudante, cada vez mais, deixará de ser um espectador e se tornará "agente" ativo e participativo em um processo de ensino-aprendizagem envolvendo ambientes virtuais.

Como tudo na vida, o Metaverso – e tudo que vier com ele – será algo com o qual precisaremos nos acostumar, mas mais importante ainda: será necessário saber estudar e analisar as melhores formas de usar tais recursos ao nosso favor, tendo a consciência de que haverá um período de adaptação tanto para alunos quanto para professores – e esse período pode não ser completamente linear, mas depende de uma educação paciente como toda nova tecnologia. Veja abaixo algumas formas em que o metaverso poderá ser usados pelo setor educacional:

 

Ensino Híbrido 

O Ensino Híbrido pode ser transformado pelo metaverso ao combinar o Ensino Presencial às ferramentas e práticas on-line. Por exemplo, recursos como a realidade virtual podem transportar os alunos até um local que está sendo estudado em sala de aula.

 

Sala de aula virtual 

No metaverso é possível recriar o ambiente escolar em espaços virtuais, em substituição às aulas transmitidas on-line. Dessa forma, os alunos podem entrar de maneira completa no ambiente educacional e se sentir mais motivados para as aulas.

 

Formação continuada de educadores 

A relação entre instituições de ensino e estudantes tende a mudar. E isso também diz respeito aos professores que priorizam a formação continuada. Uma vez que as aulas poderão ser cada vez mais híbridas, elas também poderão acontecer somente na realidade virtual, dependendo da instituição de ensino. Sem dúvida, professores terão a oportunidade de fazer cursos em outras localidades, como no exterior, com mais facilidade e custos mais baixos.

 

Livros didáticos 

Em algumas escolas os livros físicos já são substituídos por versões digitais. A tendência  é que esse número cresça nos próximos anos. E que com o avanço da tecnologia, esses livros ofereçam recursos integrados ao metaverso.

 

Acessibilidade 

O acesso remoto ao metaverso encurta distâncias geográficas e aumenta a inclusão. Por meio dele, é possível que os educadores possibilitem aos alunos estarem presentes em qualquer lugar do mundo, por meio de aulas ainda mais completas. Do mesmo modo, estudantes podem ter acesso a diversas instituições de ensino, sem a necessidade de gastos com deslocamento.

 

Captação de alunos

E se sua escola estivesse no metaverso? Mantendo a mesma estrutura da vida real, mas em um ambiente virtual? Já imaginou? Com sua escola inserida no metaverso, as famílias teriam mais facilidade em fazer uma visita à instituição, pois não precisariam se deslocar fisicamente. Além disso, sua instituição conseguiria agendar muito mais visitas do que no formato presencial.

 

Matrículas

Com sua escola inserida no metaverso, o processo de matrícula tem tudo para ser menos burocrático e mais ágil. Há escolas, por exemplo, que já fazem o processo de matrícula pelo site (mas ainda são pouquíssimas). A diferença é que numa escola no metaverso os pais podem esclarecer dúvidas com os atendentes em tempo real, num ambiente muito similar ao do mundo material. Tudo isso torna o atendimento mais humanizado, mesmo que de modo online.

Sendo assim, essa ação digital provavelmente aumentaria o índice de matrículas no ano, um dos grandes desafios para qualquer instituição de ensino particular.

 

Tecnologia do Google TradutorTradutor